Español - English - Deutsch - Français - Italiano
  Artigos    
GRAVIOLA
Comentários(0)   Recomendar a um amigo email
 Graviola
  Graviola Classificação
  Graviola Origem e Descrição
  Graviola Composição Química das Folhas
  Graviola: Ação das acetogeninas nas células
  Graviola: Estudos realizados
  Graviola: Uso tradicional das Folhas
  Graviola: Conclusões
  Graviola: Contra-indicações
   
Na atualidade a importância do incremento de consumo da Graviola radica na possibilidade em ser utilizada como complemento em certos tipos de doenças e causa de inflamacões, pela presença de substâncias nas folhas como as acetogeninas, que teriam uma atividade semelhante a certos produtos que se usam para esta finalidade com a qualidade por não apresentar efeitos colaterais.
 Graviola: Clasificação
A Graviola é uma espécie da família Annonácea que inclui muitas espécies diversas do grupo guanábana e à classe ebanona. É conhecida com o nome científico de ANONA MURICATA L. Na seguinte tabela se aprecia a clasificação científica:
  • Reino: Plantae
  • Divisão: Magnoliophyta
  • Classe: Magnoliopsida
  • Ordem: Magnoliales
  • Família: Annonaceae
  • Gênero: Annona
  • Espécie: Annona Muricata L.

Consome-se como fruta, zumo, além todas as partes da planta são aproveitáveis para diferentes funções.

  • Fruta Seca: A Graviola (Annona Muricata L.) consome-se como fruta, inteira ou em salada; utiliza-se também como matéria prima para preparação de sucos, mermeladas, sorvetes, sobremesas e tortas caseiras.
  • Fruta Processada: Comercializa-se polpa de guanábana natural ou congelada, concentrado, néctar, jaleas e purês. A fruta é muito apreciada para bebidas e os países produtores exportam sucos em apresentações industriais ou em latas para consumo final. A polpa de guanábana se envasa em fundas plásticas fechadas, em tambores metálicos e envases de papelão.
  • Folhas. Usam-se as folhas secas, moídas, micropulverizadas. Atualmente se comercializa como: Farinha de Graviola em pote ou em cápsulas.
 Graviola: Origem e Descripção
A Graviola é uma fruta de origem americana, é uma fruta de uma árvore originário da América tropical, que cresce espontâneamente desde o sul do México até o Brasil, suspeita-se que teve sua origem na Colômbia ou no Brasil, foi uma das primeiras plantas levadas à Europa depois do descobrimento da América.

Por seu aspecto, o fruto é semelhante à chirimoia, espécie do mésmo gênero (A.cherimola), a graviola é da mesma família, seu peso varia, pode chegar a 4 quilos, a casca é de cor verde oscuro brilhante (que vira verde mate quando está amadurecida), a polpa é mole, geralmente de cor branca de uma textura carnosa, jugosa e um sabor ligeramente ácido, o fruto alberga em seu interior inúmeras sementes de cor preta que se descolam fácilmente.

É uma árvore  de 8 a 10 mts., de altura, cresce cultivado em quase toda a América tropical. Tem uns frutos carnosos de 15 a 20 cm de comprimento.

Tradicionalmente a casca da raíz e as folhas são usadas para tratar a diabete (infusões), também como antiespasmódico. As folhas amassadas com sal aplicadas como emplastos são usadas para fazer amadurecer tumores, as folhas  cozidas são usadas contra a diarreia. Seus frutos se usam para combater o raquitismo.
 Graviola: Composição Química das Folhas
Os fitoquímicos principais: acetogeninas Annonaceous: annocatalin, annohexocin, annomonicin, annomontacin, annomuricatin A & B, annomuricin la A à E, annomutacin, annonacin, (várias iso, cis, estruturas isoméricas). annonacinone, annopentocin la A a la C, cis-annonacin, cis-corossolone, coibin A a D, corepoxilone, coronin, corossolin, corossolone, donexocin, epomuricenin A e B, gigantetrocin, gigantetrocin A & B, gigantetrocinone, gigantetronenin, goniothalamicin, isoannonacin, javoricin, montanacin, montecristin, muracin la A a la G, muricapentocin, muricatalicin, muricatalin, muri-catenol, muricatetrocin A & B muricatin D, muricatocin la A a la C muricin H, muricin I, muricoreacin, muriexocin 3, muriexocin la A à C, muriexol, murisolin, robustocin, rolliniastatin 1 & 2, saba-delinquencia, solamin, uvariamicin I y IV, xilomaticin.
 Graviola: Ação das Acetogeninas nas células

Os acetogénesis de Annonáceas se encontram só na família do annonaceae. Em geral, várias das acetogêninas, annonáceos têm se documentado com atividades antiinflamatória, antiparasitárias, pesticidas, antiprotozoarias,  antielmínticas e antimicrobianas. Tem tido muito interesse nos produtos que têm demonstrado característica antiinflamatória potente e vários grupos de pesquisa estão tentando sintetizar esses produtos.

Em uma revisão desses produtos  naturais no diário de produtos em 1999 observaram: “Os acetogêninas de Annonáceas são os agentes com capacidade antiinflamatória e pesticidas novos, que se encontram só no annonaceae da família da planta”.

Químicamente, são derivados dos ácidos gordurosos de longa cadeia. Biológicamente, exibem suas bioatividades potentes com o esgotamento dos níveis do ATP da mitocondria do complexo I e de inibir a oxidasa do NADH das membranas do plasma das células inflamadas, assim, frustram mecanismos ATP-conduzidos da resistência."
 Graviola: Estudos Realizados

Complemento como a Graviola, diversos estudos indicam que seu consumo poderia ser beneficioso:

  • Um estudo realizado na Universidade de Pardue em Califórnia, demonstrou que as acetogeninas podem inibir seletivamente o crescimento de células inflamadas e também inibir o crescimento das células do tumor, resistentes a alguns medicamentos. Outro estudo realizado por cientistas da mesma Universidade, demonstrou que as acetogeninas da guanábana (Graviola) são extremamente potentes tendo uma DL50 (doses letal 50) de até 10 – 9 microgramas por mililitro, resultando ser muito efetiva.

  • Pesquisas realizadas entre os anos 1998 a 2000 por McLaughlin e por Chih Hw, Chui HF têm revelado que as acetogeninas são inibidores do complexo I da cadeia de fosforilação oxidativa com o qual bloqueiam a formação de ATP; energia que necessita a célula tumorais que põe em funcionamento sua bomba mediada por P glucoproteína, que permite se manter ativa. As acetogeninas, também iniben a ubiquinona oxidasa, enzima dependente do NADH que é peculiar na membrana plasmática da célula tumorais. McLaughlin realizou suas pesquisas com as acetogeninas Bullatacin e Bulatacinone.

  • Em Março de 2002, investigadores japoneses publicaram um interessante estudo em vivo, no que se estão estudando vários acetogeninas  que  se encontra em várias espécies de plantas. Quem recebeu  o acetogenim principal acetogeninna  de Annona muricata L., chamado de "annonacin" (em doses de 10 mg / kg). Deu resultados efetivos frente a inlamações tumorais.
 Graviola: Uso tradicional das Folhas

A Graviola tem uma longa história no uso da medicina natural assim como também um longo registro no uso indígena graças a suas propriedades conhecidas desde faz muito tempo.

  • Nos Andes peruanos, um chá de folhas se usa para o catarro e a semente amassada é usada para matar os parásitos.
  • No Amazonas peruano, as raíces da casca e folhas se usam para a diabete, como um sedante e antiespasmódico.
  • No Amazonas brasileiro, um chá de folhas se usa para problemas de fígado
  • Em Jamaica, no Haiti e os andes Ocidental, o suco de fruta ou fruta se usa para febre, os parásitos e parar a diarreia. A casca ou as folhas se usam como um antiespasmódico, sedante e para ol coração, a tosse, a gripe, a asma, hipertensão e parásitos.
Recomienda-se para a pressão de ventre e para aumentar a flora intestinal, reduz a hiperacia. A polpa da Graviola tem efetos digestivos e ao suco se  atribui propriedades diuréticas,
Combate as cólicas, a diarreia, disentería, dispepsia, febre, gripe, hipertensão, insone, doenças dos rins, estresse, palpitações, pediculose, tinha e as úlceras internas.
Outras características destacáveis são suas propriedades antibacterianas, antiparasitárias, antiespasmódicas, astringente,
 Graviola: Conclusões
Como podemos ver, o consumo das folhas de Graviola nos brinda a possibilidade de obter certos benefícios em alguns processos inflamatórios, há pesquisas pre clínicos que demonstram sua atividade e de certa forma também é avalada pela medicina tradicional que a usa em casos de tumores superficiais en forma de emplasto das foljas.

Contamos com esse extraordinário RECURSO NATURAL  que nos brinda  a natureza, obtendo alvos importantes em inflamações com essa planta, por isso tem que se realizar maiores pesquisas, ainda mais os  clínicos e sua difusão, para lutar contra essas doenças.
 Graviola: Contraindicações

A Graviola possui muitas propriedades e não tem efeitos colaterais adversos para a saúde, Embora  possa potenciar antihipertensivo e drogas depressoras cardiacas..

  • Está contraindicada em perssoas com pressão baixa sanguínea  a causa de que tem demonstrado efeito hipotensor, vasodilatador e cardiodepressor; contraindicado para pessoas que tomam antiipertensivos. Consulte com seu médico antes de tomar qualquer produto de Annona Muricata L. para que examine sua pressão arterial, a fim de ajustar a doses a suas necessidades.

  • Os produtos derivados de extratos de Annona Muricata L. podem causar certa sedação ou sonolência.

  • Evíte o uso por parte de mujeres embarazadas. Pode ser prejudicial para a gravidez.
 
 
INKANATURA - 07/12/2016   Recomendar a um amigo
     
     
 
 
Escrever um comentário
Inkanatural só responda a questões de ordem técnica e comercial, não a questões de ordem médica. Obrigado.
 
   
Nome:  
e-mail  
Mensagem:  
   
     
 
Comentários(0)
     
   
   
 
 
 
 
Produtos Recomendados
Folhas de Graviola 100 caps x 500 mg


EUR 17,00 // USD 18,70

Graviola em pó (Folha Micropulverizada) 160 gr.


EUR 14,00 // USD 15,40

 
Artigos Relacionados
 
 
 
 
 
 
 
 
  inkanatural 2008
Compra segura: Aceitamos depósitos bancários, contra reembolso, Cartão de crédito